Bem-estar

Medo de mudança é comum, mas pode atrapalhar o desenvolvimento pessoal e profissional

A-mudançaEntenda como aceitar melhor mudanças e porque tendemos a ser contra modificações cotidianas

Viver é constantemente criar uma rotina. Mesmo aqueles que dizem detestar fazer sempre tudo igual, ainda sim, costumam criar para suas vidas algo muito parecido todos os dias. Essa necessidade de repetição é uma forma de manter o cérebro menos sobrecarregado. Quando fazemos coisas iguais não precisamos de tanta atenção e o cérebro “descansa”. É a famosa expressão: “deixar no piloto automático” e seguir em frente. Quantas e quantas vezes repetimos tantas vezes uma mesma ação que nem precisamos mais prestar atenção ao executá-la e assim poupamos nosso cérebro de grandes esforços.

Por causa do pouco esforço que o cérebro tem que fazer quando repete uma ação, o processo de mudança vem na contramão disso tudo: mudar requer esforço, energia e muita atenção. Ao mesmo tempo que para alguns mudar é sinônimo de prazer, para muitos, é uma ação extremamente desgastante. Quem encara a mudança como negativa, pode apresentar sintomas de medo e angustia ao ter que quebrar uma rotina já determinada.

Mudar com equilíbrio e sem exageros faz muito bem a saúde mental, pois ajuda a criar novas conexões neurais, estimula a capacidade de adaptação e interação com o novo. As mudanças acontecem naturalmente ao longo da vida e ser capaz de adaptar-se a elas faz parte da sobrevivência natural do ser.

Quem sente medo e não consegue mudar, costuma fazer da sua vida uma rotina sem fim, se preocupa com o que pode dar errado e prefere não mexer no que está funcionando bem. São pessoas com nível de crítica exacerbados e até mesmo perfeccionistas. Esse problema pode afetar a vida pessoal e profissional. Um bom trabalhador é aquele que está pronto para as novidades do mercado de trabalho, e é aquele que pode responder rapidamente a um novo chamado e pedido de ação.

“Não é o mais forte quem sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”, disse Leon C. Megginson.

Todo medo tem cura. Reconhecê-lo é o primeiro passo. Ser capaz de perceber que o medo paralisa e não ajuda no crescimento pessoal pode ser fundamental para conscientização do problema existente. Tratamento psicológico, com técnicas de psicoterapia breve, como hipnose, programação neurolinguistica e EMDR podem ser suficientes para a cura e bem-estar.

Lembrando que quem muda o tempo todo e não mantém vínculo ou regras para o bem viver, pode sobrecarregar o corpo e a mente levando ao estresse. Manter o equilíbrio é a chave do sucesso pessoal e profissional.

Dicas para mudar com segurança

Durante o processo de escolha:

  • Ninguém nunca terá todas as informações suficientes para tomada de ação além do que se sabe no momento presente
  • É fundamental a capacidade de viver as escolhas e suas consequências
  • É necessário esforço, energia para fazer acontecer qualquer mudança, mesmo as menores
  • Comece pequeno e mantenha na direção que deseja, sem criar muito esforço.

Mudar é preciso, sempre. Sucesso e boas escolhas para novas ações.

Fonte: http://minhavida.uol.com.br/